Últimas Notícias Últimas Notícias

Brasília, com suas belezas e mazelas, foi tema de sarau na Câmara Legislativa

Brasília, com suas belezas e mazelas, foi tema de sarau na Câmara Legislativa

Qui, 20 Abr 2017 20:20

Poetas e poetisas do Distrito Federal recitaram versos sobre a cidade no 1º Sarau Candango, realizado nesta quarta-feira (19), na Câmara Legislativa. O evento faz parte das comemorações dos 57 anos de Brasília – que figurou nos poemas com múltiplas facetas: sua beleza arquitetônica, seu céu, seu povo, suas injustiças sociais e seus escândalos políticos. O Dia do Índio, celebrado hoje, também foi lembrado, e o assassinato de Galdino Jesus dos Santos, há 20 anos, esteve em alguns versos.

Luis Turiba, Noelia Ribeiro, Nicolas Behr, Jorge Amâncio, Sheila Campos e José Sóter foram alguns a dar voz a poesias feitas na cidade. No início do sarau, foi exibido o filme "Brasília Ano 35", realizado em 1995 com imagens daquele ano e da época da construção da capital. Na trilha sonora, a Sinfonia da Alvorada, de Tom Jobim, e a narração de Vinicius de Moraes. A cidade em nascimento, com o esforço de 60 mil operários de todo o País, seus palácios, sua diversidade cultural, seu crescimento e suas desigualdades foram projetadas. Para o diretor do filme, José Sóter, um novo vídeo deveria ser feito, para registrar as mudanças ocorridas nos últimos anos.

O presidente da Câmara Legislativa, deputado Joe Valle (PDT), participou da abertura do evento e arriscou alguns versos, em referência a sua ligação com a terra e a produção de alimentos. Ele defendeu a abertura da Casa para iniciativas como o Sarau Candango: "É uma forma de dar voz à cultura do DF".

Também o deputado Raimundo Ribeiro (PPS) destacou a importância da Câmara como palco para todos os tipos de manifestações culturais. "As pessoas devem se sentir participantes desse Poder", apontou. O distrital aproveitou a presença de pessoas da literatura para anunciar medidas em atendimento a demandas da área, a exemplo da apresentação de indicação para o GDF incluir publicações de autores locais nas escolas públicas do DF.

Já o deputado Rodrigo Delmasso (Podemos) apresentou lei de sua autoria que obriga livrarias da cidade a darem destaque para as obras de autores locais. O distrital reconheceu, contudo, faltar incentivo para a publicação editorial.

Os deputados Wasny de Roure (PT), Telma Rufino (Pros) e Prof. Reginaldo Veras (PDT) também prestigiaram o evento. Veras informou aos presentes que as contribuições dos artistas para a Lei Orgânica da Cultura estão em análise. A LOC vai organizar a legislação de cultura vigente, prevendo a adesão do DF ao Sistema Nacional de Cultura (SNC) e modernizando a gestão da Secretaria de Cultura do DF.

Denise Caputo - Coordenadoria de Comunicação Social